quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Entre a sombra e a alma


Por: Pablo Neruda

Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.
.
Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascender da terra.
.
Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo directamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
.
Se não assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.


2 comentários:

Camila Paier disse...

Acho lindo Neruda, e profundo. Sempre me toca, é inevitável. Enfim, amei teres disponibilizado aqui, viu. Achei ótimo! De um belo bom gosto hehehe
Beijo pra ti, guria!

Irisbel Correia disse...

Ele é lindo mesmo, suas palavras sempre tocantes... falar de amor às vezes parece fácil, mas só desabrocha pra quem sente, sentiu, e amou profundamente. Beijos pra ti tbm... guria.