terça-feira, 30 de novembro de 2010

Minha vida!



Minha Vida

Rita Lee

Composição: John Lennon E Paul Mc Cartney

Tem lugares que me lembram
Minha vida, por onde andei
As histórias, os caminhos
O destino que eu mudei...

Cenas do meu filme
Em branco e preto
Que o vento levou
E o tempo traz
Entre todos os amores
E amigos
De você me lembro mais...

Tem pessoas que a gente
Não esquece, nem se esquecer
O primeiro namorado
Uma estrela da TV
Personagens do meu livro
De memórias
Que um dia rasguei
Do meu cartaz
Entre todas as novelas
E romances
De você me lembro mais...

Desenhos que a vida vai fazendo
Desbotam alguns, uns ficam iguais
Entre corações que tenho tatuados
De você me lembro mais
De você, não esqueço jamais...


Quando tudo para!


Por: Irisbel Correia

Você para, olha por um instante pros lados e nada. Lembra do dia que pediu para a vida contribuir e trazer as mudanças que tanto espera, a emoção em uma cena de filme, o susto, às lagrimas de saudade e alegria! Chega de dramalhão, de novela mexicana. Quero um novo roteiro. E para a sua surpresa o que ela fez. Parou, estática no meio dos acontecimentos. Tudo sem sentido, sem som, está no mute, o único barulho que escuto é as batidas descompassadas do coração. Cadê as legendas, as falas? Quero o novo, sair sem rumo e topar com pessoas que há tempos não vejo. Dançar sem música em baixo da chuva, reviver, mergulhar e encontrar as respostas, desprender-me dos medos, me encontrar e ser encontrada, caminhar, bagunçar, que a cada passo os caminhos se preencham de luz. Que esse silêncio de lugar a uma nova vida, a um novo horizonte, o que fazer dela, uma Vida vadia, ou uma vida vazia?(Camila Pier)

domingo, 28 de novembro de 2010

Sabe o AMOR?


Por: Irisbel Correia

Ele não começa com "era uma vez" e nem termina com "felizes para sempre". Ele começa com um sorriso, uma lágrima. Ele começa com palavras doces, simpáticas e verdadeiras. Ele começa com um olhar, com uma conversa. Ele começa como uma música, que faz todos entrarem nela e envolve cada vez mais em suas armadilhas, independente das pessoas, dos lugares, e dos tempos, sempre vai ser amor. O amor não é feito de palavrinhas idiotas, o amor é feito de grandes gestos, como aviões levando faixas sobre estádios, propostas em telões, ou palavras gigantes escritas no céu. O amor é ir mais além mesmo que doa, deixando tudo pra trás . O amor é encontrar uma coragem dentro de si que nem se sabia que existia ! É querer e fazer acontecer, pois para o amor tudo vale a pena, seja ele duradouro ou não, o importante é sempre amar, como disse Chico Xavier "Amar sem esperar ser amado e sem aguardar recompensa alguma. Amar Sempre." Quer saber, essa coragem voltou junto com o AMOR que achava que nunca mais sentiria, nao o aquele amor entre homem e mulher, envolvidos por desejo e impulso, mas aquele AMOR que vem da alma, incondicional, que se preocupa e quer o outro FELIZ. AME e AME muito, faz bem a ALMA e ao CORPO, rejuvenesce.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Todo dia é menos um dia


Por: Carlos Drumond de Andrade.

Todo dia é menos um dia;
menos um dia para ser feliz;
é menos um dia para dar e receber;
é menos um dia para amar e ser amado;
é menos um dia para ouvir e, principalmente, calar!

Sim, porque calando nem sempre quer dizer
que concordamos com o que ouvimos ou lemos,
mas estamos dando a outrem a chance de pensar,
refletir, saber o que falou ou escreveu.

Saber ouvir é um raro dom, reconheçamos.
Mas saber calar, mais raro ainda.
E como humanos estamos sujeitos a errar.
E nosso erro mais primário, é não saber:
Ouvir e calar!

Todo dia é menos um dia para dar um sorriso.
Muitas vezes alguém precisa, apenas de um sorriso
para sentir um pouco de felicidade!

Todo dia é menos um dia para dizer:
- Desculpe, eu errei!
Para dizer:
- Perdoe-me por favor, fui injusto!

Todo dia é menos um dia;
Para voltarmos sobre os nossos passos.
De repente descobrimos que estamos muito longe
E já não há mais como encontrar
onde pisamos quando íamos.
Já não conseguiremos distinguir nossos passos
de tantos outros que vieram depois dos nossos.

E se esse dia chega, por mais que voltemos;
estaremos seguindo um caminho, que jamais
nos trará ao ponto de partida.

Por isso use cada dia com sabedoria.
Ouça e cale se não se sentir bem;
Leia e deixe de lado, outra hora você vai conseguir
interpretar melhor e saber o que quis ser dito.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Talvez amanhã seja tarde demais



Se está bravo com alguém,
e ninguém faz alguma coisa para consertar a situação
...conserte você.

Talvez hoje, aquela pessoa ainda queira ser seu amigo,
e se você não consertar isto logo,
talvez amanhã seja muito tarde.

Se está apaixonado por alguém,
mas a pessoa não sabe... diga a ela.

Talvez hoje, aquela pessoa também esteja apaixonado por você
e se você não falar isto hoje, talvez amanhã seja muito tarde.

Se você morre de desejos de dar um beijo em alguém...
então dê.

Talvez essa pessoa também queira seu beijo,
se você não der isto a ela hoje,
talvez amanhã seja muito tarde.

Se você ama alguém e acha que esse alguém lhe esqueceu..
.entao diga a ele.

Talvez essa pessoa sempre o tenha amado
e se você não lhe disser isso hoje,
talvez amanhã seja muito tarde.

Se você precisa de um abraço de um amigo...
você deve lhe pedir.

Talvez ele precise isto mais que você,
e se você não lhe pedir hoje,
amanhã pode ser muito tarde.

Se você realmente tem amigos,
aos quais aprecia... conte isto a eles.

Talvez eles também o apreciem,
e se eles partem ou vão embora,
talvez amanhã seja muito tarde.

Maior Amor De Todos



Tradução da música The Greatest Love Off All - Whitney Houston

Acredito que as crianças sejam nosso futuro.
Ensine-as e deixe-as seguirem seus caminhos.

Mostre-lhes a beleza interior que possuem.
Dê-lhes o sentimento de orgulho...facilitar é fácil.
Deixe que o sorriso das crianças
nos lembre de como éramos.

Todos procuram por um herói.
As pessoas precisam espelhar-se em alguém
Não tive quem preenchesse minhas necessidades...
E aprendi a ser independente

Decidi há muito tempo, não caminhar à sombra de alguém.
Se eu fracassar ou obtiver sucesso
Terei vivido acreditando em mim
Não importa o que abstraim de mim
A minha dignidade não conseguirão...
Pois o maior amor de todos me aconteceu

E o encontrei dentro de mim mesmo
O maior amor é fácil alcançar:
Aprenda amar a si mesmo, este é o maior amor

E se por acaso aquele lugar especial...
que você sonhou
te levar à solidão...
Encontre a sua força no amor

domingo, 21 de novembro de 2010

Não


Por: Camila Paier
Não segure minha mão, se você não me reerguer quando eu cair no mundo. Não me pegue em casa, se você não quiser aderir minha rotina. Não elogie meu cabelo, se você toca tantos outros por aí, e muito menos meu bom gosto ao vestir, se você não souber valorizá-lo. Não ligue para saber se cheguei bem, se você realmente não se importa. Não me chame de linda, se você costuma pegar coisa pior por aí. E muito menos de querida, se você não fizer questão de o ser também comigo. Não construa planos, quando o que você quer é viver com seus amigos, e nem plante sonhos em meu jardim, se você não pretender regá-lo com freqüência. Não me apresente como amiga, se acordo ao teu lado. Não projete em mim todos os seus medos irreais, caso você não queira realmente saber das minhas fraquezas, dependências, e defeitos. Não me ofereça seu casaco, se sua intenção não for a de me aquecer toda por dentro. Não suma repentinamente, se não quiser ser riscado completamente do meu enredo. Não me convide para viajar para a praia, se você não mantém nem ao menos a promessa de me levar para jantar. Não tire meu sossego, se não é você quem irá me devolvê-lo mais tarde, e não mostre ser o máximo, se tudo que você puder me dar de si, é o mínimo. Não adianta você ser alto, se faz questão de jogar baixo, e nem usar o melhor perfume do mundo, se é só o cheiro e na verdade você também joga sujo. Não trague seu cigarro perto de mim, se suas verdades inventadas são todas intragáveis. Não se faça de vítima, se quem está no alvo do tiro, na verdade, sou eu. Não me coloque em pedestal nenhum, se sua pretensão não é de me alcançar e salvar a vida, qualquer dia. Não faça bater mais forte meu coração, se quando perto do enfarte, você não construir a ponte safenada capaz de me salvar da loucura e da enfermidade. Não jure amor eterno, se sua eternidade for somente até amanhã. Não me chame de princesa, se quando você for coroado rei, outra rainha for sentar-se ao seu lado. Não me dê flores, se sua vontade, assim como a das plantas, também murchar. Não abra a porta do seu carro, se você não estiver ali de pé, em frente à mim, de coração aberto. Não me mande cartas, se você nem ao menos souber onde moro. Não me furte o fôlego, se não for para continuar me beijando. Não saque minhas roupas, se você não quiser também despir meus sonhos e aspirações. Não demonstre todo um sentimento, se quando com seus amigos e família, ele não parece existir. E não seque minhas lágrimas, se algum dia você também as fizer correr pelo meu rosto. Não.

Solte a Panela!!


A vida é feita de altos e baixos, muitas vezes nos agarramos a situações, que aparentemente é a correta, relutamos a aceitar o óbvio, só depois de muita dor e sofrimento enchergamos, e mesmo assim ainda sofremos. Recebi esse email de uma amiga e achei interessante compartilhar com vocês.

Certa vez, um urso faminto perambulava pela floresta em busca de alimento.
A época era de escassez, porém, seu faro aguçado sentiu o cheiro de comida e o conduziu a um acampamento de caçadores.
Ao chegar lá, o urso, percebendo que o acampamento estava vazio, foi até a fogueira, ardendo em brasas, e dela tirou um panelão de comida.
Quando a tina já estava fora da fogueira, o urso a abraçou com toda sua força e enfiou a cabeça dentro dela, devorando tudo.
Enquanto abraçava a panela, começou a perceber algo lhe atingindo.
Na verdade, era o calor da tina...
Ele estava sendo queimado nas patas, no peito e por onde mais a panela encostava.
O urso nunca havia experimentado aquela sensação e, então, interpretou as queimaduras pelo seu corpo como uma coisa que queria lhe tirar a comida.
Começou a urrar muito alto.
E, quanto mais alto rugia, mais apertava a panela quente contra seu imenso corpo.
Quanto mais a tina quente lhe queimava, mais ele apertava contra o seu corpo e mais alto ainda rugia.
Quando os caçadores chegaram ao acampamento, encontraram o urso recostado a uma árvore próxima à fogueira, segurando a tina de comida.
O urso tinha tantas queimaduras que o fizeram grudar na panela e, seu imenso corpo, mesmo morto, ainda mantinha a expressão de estar rugindo.

Quando terminei de ouvir esta história, percebi que, em nossa vida, por muitas vezes, abraçamos certas coisas que julgamos ser importantes.
Algumas delas nos fazem gemer de dor, nos queimam por fora e por dentro, e mesmo assim, ainda as julgamos importantes.
Temos medo de abandoná-las e esse medo nos coloca numa situação de sofrimento, de desespero.
Apertamos essas coisas contra nossos corações e terminamos derrotados por algo que tanto protegemos, acreditamos e defendemos.

É necessário reconhecermos, em certos momentos, que nem sempre o que parece salvação vai nos dar condições de prosseguir.

Tenha a coragem e a visão que o urso não teve.
Tire de seu caminho tudo aquilo que faz seu coração arder.

SOLTE A PANELA!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Você é o que Semeou.




Por: Yara Castellar

Certa vez contei uma mentira a um homem.
Ele respondeu me dizendo isto:
- Todas as decisões que devo tomar serão baseadas nas suas palavras.
Desde então, eu só disse a verdade.

Certa vez reclamei de um presente que recebi,
porque não era o que eu queria.
Aquela que me presenteou percebeu o desapontamento em meus olhos e disse-me isto:
- Escolhi o presente mais valioso que poderia encontrar, porque achei que você deveria ter um deste.
Desde então, fico muito alegre com cada presente que recebo.

Certa vez um homem contou-me um segredo, o qual eu sussurrei baixinho no ouvido de um outro amigo.
O homem disse-me isto, depois de ouvir seu segredo repetido:
- A razão pela qual contei-lhe o segredo foi porque confiei em você, não em seu amigo.
Desde então, não confio assim tão facilmente.

Certa vez dei um presente a uma amiga e ela chorou.
Me desculpei por ser um presente tão pequeno mas era o que eu tinha encontrado.
E ela me respondeu:
- Não há nada de errado com o presente, estou emocionada porque você lembrou-se de mim.
Desde então, eu dou presentes freqüentemente.

Estava tentando apenas ser eu mesmo, passando despercebido sem chamar atenção.
E me foi dito isto:
- O fato de você não se adequar faz com que você fique fora de tudo.
Desde então, eu penso sobre isto.
penso ... existo... penso... somos...

...VOCÊ é um agente muito importante na existência, não vivemos aqui sozinhos.
Cada movimento que faz cria uma onda no oceano do outro.
Cada vez que vc respira afeta todo o ar a volta de quem vc esta.
Cada palavra que vc expressa bate no ouvido de alguém.
Aquilo que vc toca é sentido por outra pessoa.
Aquilo que vc faz, certamente afetará alguém.
O que não faz ou deixa de fazer, também afetará pessoas.
Nós nunca sabemos a distância realmente
alcançada por algo que falamos ou fazemos até que nos retorne...
Todas as coisas na vida formam um círculo e estamos no meio dele, quer o vejamos ou não...

E tudo que devemos fazer é criar agradáveis ondas, aquelas que envolvem calorosamente
tudo em torno de você, e que voltam suaves, fazendo por sua vez que você crie, cada vez mais, ondas agradáveis.
Aquilo que o homem semear, com certeza também colherá.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Exceções!

Criação gráfica: Irisbel Correia





Por: Irisbel Correia

Engraçado como muitas vezes nos contradizemos, não por maldade, vaidade, lúxuria, ira, inveja, soberba, orgulho ou preguiça. De certa forma pecamos, mas com a certeza de querer acertar.
Acordo cheia de vontade. O dia apresenta-se convidativo. Sento-me para ler. Martha Medeiros. Para mim Martha assume várias personalidades. Ela é Tudo em um, um em tudo. Às vezes acho que ela fala por mim, até mesmo me conhece.

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento....” Martha Medeiros.


É curioso, vida é apenas uma morte. Estamos aqui para viver ou para morrer?
Contradição. Isto basta. Só descobrirei quando desistir desta existência, e voltar para um ciclo vicioso.

Acho que devo me despir da solidão, deixa-la solitária. Ou talvez eu que tenha que me despir de ser, e voltar a ser. Vou subverter-me na inconstância da vida. Quero afirmar a minha existência. Vou expiar-me de mim própria, do meu eu para voltar ao infinito.

Assim me senti hoje absorta, quando acordei e pensei no conhecimento da vida que termina com uma morte distante. Na busca incessante do saber se estamos aqui pra ficar ou partir.
Ou ambos. Não sei. A vida é assim, fazemos uma coisa depois que dissemos que nunca a fariamos, ou vice-versa. Por que estamso aqui para descobrir, desbravar e entender que somos um só. Viver isso basta, sem se preocupar com o amanhã. Sentir. Como diria Martha

"...Sentir alimenta, sentir ensina, sentir aquieta. Fazer é muito barulhento..." Martha Medeiros

E esse ciclo não tem fim porque a vida é cheia de regras, mas graças a Deus tem as suas Exceções.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Deixo rolar.


Texto: Karine Melo e Adaptação: Irisbel Correia

Começo a escrever baixinho. Deve ser aquele receio que eu tenho que as palavras me dominem. É bem provável que elas desvendem o que ainda nem me dei conta. Mas confesso, hoje eu gostaria de me entender. Gostaria que o meu coração me chamasse para ter uma conversa demorada, e séria. Ahh, como eu queria que ele me contasse tudinho que eu preciso saber ao meu respeito. Sinceramente, eu não sei o que se passa por dentro. Na boa, eu não sei. E nada tenho haver com essa confusão de sensações. Ou tenho?
Me vejo diferente, esquisita, estranhamente inquieta. Acho que acordei para algumas coisas que estavam adormecidas. Valores, princípios e um cuidado a mais por mim. Sem exageros e sem vergonha do que há por vir. Na verdade, existem coisas que são minhas, só minhas. Tão minhas que me agarro com elas até que tudo ganhe o sentido que eu preciso. É um estranho fluxo de pensamento, idéias, sensações. Um despertar. Uma quase certeza que a minha história ainda tem algo a me contar. Eu sei que tem.
Não quero mais a mesmice, o comodismo e o que ainda é dúvida. Não aceito uma realidade que não seja pelo menos um tracejado do que eu desejo. Quero os meu sonhos de mãos dadas com o acaso, e que eles me levem aonde eu devo chegar. Não tenho pressa, sei esperar o momento certo e o que vem depois, não se explica, simplesmente acontece.
O segredo é que eu vou começar a respeitar as minhas vontades, vou correr os riscos que tanto a minha alma insiste em negar. Eu me rendo, eu me enfrento, dou a cara a tapa. Quem sabe numa manhã dessas eu acorde distraída e o medo vire coragem, as incertezas virem certezas. Quem sabe. Quero mais é ousadia. Quando o vento tiver ao meu favor, pegarei carona com ele. Vou saber para onde ir e o que levar comigo. Já que a vida sempre reserva surpresas, digo sim para elas. Deixo rolar.

Sempre!


Por: Irisbel Correia (Adaptação da Música Always)

Estou sangrando
Mas você não pode ver o meu sangue
isto não é nada além de alguns sentimentos

Tem sido chuvoso desde que você me deixou
Agora estou me afogando no dilúvio
Você sabe que sempre fui uma lutadora
Mas sem você, eu desisto

E eu
Te amarei, querido, sempre
E estarei ao seu lado por toda a eternidade, sempre
Eu estarei lá até as estrelas deixarem de brilhar
Até os céus explodirem e as palavras não rimarem
E sei que quando eu morrer, você estará em minha mente
E eu te amarei sempre

Agora as fotos que você deixou para trás
São somente lembranças de uma vida diferente
Algumas que nos fizeram rir
Algumas que nos fizeram chorar
Uma que fez você ter que dizer adeus

O que eu não daria para correr meus dedos pelos seus cabelos
Tocar seus lábios, abraça-lo apertado

Quando ela abraçar você
Quando ela o puxar para perto
Quando ela disser as palavras
Que você precisa ouvir
Eu desejarei ser ela,pois essas palavras são minhas
Para dizer a você até o fim dos tempos

Bem, não há sorte nestes dados viciados
Mas querido, se você me der apenas mais uma chance
Nós podemos refazer nossos antigos sonhos e nossas antigas vidas
Encontraremos um lugar onde o sol ainda brilha

Sim, e eu te amarei, querido, sempre
E estarei ao seu lado por toda a eternidade sempre
Eu estarei lá até as estrelas deixarem de brilhar
Até os céus explodirem e as palavras não rimarem
E sei que quando eu morrer, você estará em meu pensamento
E eu te amarei, querido,
sempre

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Se não quiser adoecer – “Fale de seus sentimentos”


Por: Dr. Dráuzio Varela

Emoções e sentimentos que são escondidos, reprimidos, acabam em doenças como: gastrite, úlcera, dores lombares, dor na coluna. Com o tempo a repressão dos sentimentos degenera até em câncer. Então, vamos desabafar, confidenciar, partilhar nossa intimidade, nossos segredos, nossos pecados. O diálogo, a fala, a palavra, é um poderoso remédio e excelente terapia.

Se não quiser adoecer – “Tome decisão”

A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar, saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de pele.

Se não quiser adoecer – “Busque soluções”

Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas. Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer – “Não viva de aparências”

Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc. está acumulando toneladas de peso ... uma estátua de bronze, mas com pés de barro.

Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a dor.

Se não quiser adoecer – “Aceite-se”

A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores, competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer – “Confie”

Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si, nos outros e em Deus.

Se não quiser adoecer – “Não viva sempre triste”

O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. “O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Diga!


Tradução da Música SAY de

John Mayer

Pegue toda a sua honra desperdiçada
Todas as pequenas frustrações passadas
Pegue todos os seus "chamados" problemas
Melhor colocá-los em oferta

Diga o que você precisa dizer...

Caminhando como um exército de um homem só
Lutando contra as sombras em sua mente
Vivendo o mesmo velho momento
Sabendo que você estaria em melhores condições se quisesse

Se você pudesse apenas... Diga o que você precisa dizer...

Não tenha medo de continuar
Não tenha medo de desistir
Seria melhor você saber que no final
é melhor falar demais do que nunca dizer o que você precisa dizer denovo

Mesmo que suas mãos estejam tremendo
E sua fé esteja perdida
Mesmo se os olhos estiverem se fechando
Faça isso com o coração aberto

(De coração aberto)

Diga o que você precisa dizer...
Diga o que você precisa, Diga o que você precisa...
Diga o que você precisa dizer...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A Saudade


Por: Marcos da Silva Frazão

A saudade, saudade essa que sinto com a falta da sua presença. Saudade essa que é melhor do que sentir a dor da perda, a perda dificilmente reconcilia já a saudade é sentir perto e não poder tocar, sentir o cheiro sem cheirar, ouvir sua voz e não escutar. Enfim, a saudade deve ter sido criada por quem não amou e não sabe a dor e angustia que causa seu ardor. A saudade também tem sua importância, afinal faz fortalecer o amor, a saudade aduba o coração para que o seu calor faça brotar a paixão atualizando constantemente o amor de um casal de namorados!

Do despudor a inocência do ser


Por: Irisbel Correia

Hoje acordei leve, sem medo de sentir, falar e agir. Colocar tudo que sinto pra fora, fazer tudo que devo fazer. Sem pudor, não um despudor leviano, mas aquele que está presente nos corações das crianças, como descobridor do novo, sem vergonha de ser o que é. Do despudor a inocência do ser, pensar e agir. Coloco em minha linhas todo o meu desvaneio, receios, tudo que está entranhado na minha alma devassa, livre e voraz pelo conhecimento, pelo desejo, pelo AMOR e pela compaixão. Engraçado falar do despudor depende do pudor, que torna tudo mais prazeros como diz Anne Lambert "O Pudor é tão necessário aos prazeres que é preciso conservá-lo mesmo nos momentos destinados a perdê-los". A inocência que não nos deixa, mesmo depois de adultos.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Harmonia nas diferenças


Texto: Stephen Michael King

Você já pensou que o nosso grande problema, nas relações pessoais, é que desejamos que os outros sejam iguais a nós?

Em se falando de amigo, desejamos que eles gostem exatamente do que gostamos...

...que apreciem o mesmo gênero de filme e música que constituem o nosso prazer? Na família, desejamos que todos os membros fossem ordeiros

e disciplinados como nós. No trabalho, reclamamos dos que deixam a cadeira fora do lugar, papel espalhado sobre a mesa e que derramam café, quando se servem...

Dizemos que são desleixados, e que é muito difícil conviver com pessoas tão diferentes de nós...

Por vezes chegamos às raias da infelicidade, por essas questões.

Devemos aprender que o fundamental nas relações humanas é harmonizar as diferenças.

Aprender que as diferenças são importantes, porque, o que um não sabe,

o outro ensina....

Aquilo que é difícil para um, pode ser feito e ensinado pelo outro.

É assim que se cresce no Mundo...

Por causa das grandes diferenças entre as criaturas que o habitam....

A Sabedoria Divina colocou as pessoas no Mundo, com tendências e gostos

diferentes das outras....

Também em níveis culturais diversos e degraus evolutivos diferentes.

Tudo para nos ensinar que o grande segredo do progresso...

Está exatamente em aprendermos uns com os outros...

A trocar experiências e valorizar as diferenças...

Pois tudo isso vale a pena viver!

Aprendendo e respeitando as diferenças!

O trem da vida.


Nossa vida é
como uma viagem de trem, cheia de embarques e
desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho,de
surpresas agradáveis com alguns embarques e de
tristezas com os desembarques...

Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem,
encontramos duas pessoas que, acreditamos, farão
conosco a viagem até o fim:
Nossos pais.
Infelizmente, em alguma estação eles
desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinhos,
proteção, amor e afecto.

Muitas pessoas tomam esse trem a passeio.
Outros fazem a viagem experimentando somente tristezas.
E no trem há, tb, pessoas que passam de vagão a vagão,
prontas para ajudar a quem precisa. Muitos descem e
deixam saudades eternas.
Outros tantos viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos,
ninguém sequer percebe.
Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros, acomodam-se
em vagões diferentes do nosso.
Isso obriga a fazer essa viagem separado deles.
Mas claro que isso não
nos impede de, com grande dificuldade,atravessarmos
nosso vagão e chegarmos até eles.
O difícil é aceitarmos que não podemos nos assentar ao seu lado,
pois outra pessoa estará ocupando esse lugar.


Essa viagem é assim:
cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques
e desembarques.
Sabemos que esse trem jamais volta.
Façamos, então, essa viagem, da melhor maneira possível,
tentando manter um bom relacionamento com todos os passageiros, procurando em cada um deles o que tem de melhor,
lembrando sempre que, em algum momento do trajeto,
poderão fraquejar e, provavelmente, precisaremos
entender isso.

Nós mesmos fraquejamos algumas vezes.
E, certamente, alguém nos entenderá.
O grande mistério, afinal, é que não sabemos em qual parada desceremos.
E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim. Essa expectativa faz com que levemos a vida mais a sério. Separar-me de alguns amigos que nele fiz, do amor da minha vida, será para mim doloroso. Talvez já tenha filho, deixá-lo também seria dificil, mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal, e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando desembarcaram.

E o que me deixará feliz
é saber que, de alguma forma, posso ter colaborado
para que ela tenha crescido e se tornado valiosa.
Agora, nesse momento, o trem diminui sua velocidade
para que embarquem e desembarquem pessoas. Minha
expectativa aumenta, à medida que o trem vai
diminuindo sua velocidade...Quem entrará? Quem saíra?
Eu gostaria que pensassem no desembarque do trem,
não só como a representação da morte, mas, também, como o término de uma história, de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo íntimo, deixaram desmoronar.

Fico feliz em perceber que certas pessoas, como nós,
têm a capacidade de reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de "t0dos os passageiros". Agradeço a Deus por fazerem parte da minha viagem, e por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Os meus, os seus, os nossos.


Imagem: Irisbel Correia. Adaptação: Irisbel Correia e Sandra Zilio
Texto: Padre Juca.

Há quem morra todos os dias.
Morre no orgulho, na ignorância, na fraqueza.
Morre um dia, mas nasce outro.
Morre a semente, mas nasce a flor.
Morre o homem para o mundo, mas nasce para Deus.

Não só os meus, mas também os seus e os nossos, todos somos um no Amor, porque hoje é o Dia do Amor, porque amar é sentir que o outro não morrerá nunca.

Assim, em toda morte, deve haver uma nova vida.
Esta é a esperança do ser humano que crê em Deus.
Triste é ver gente morrendo por antecipação...
De desgosto, de tristeza, de solidão.
Pessoas fumando, bebendo, acabando com a vida.
Essa gente empurrando a vida.
Gritando, perdendo-se.
Gente que vai morrendo um pouco, a cada dia que passa.

E a lembrança de nossos mortos, despertando, em nós, o desejo de abraçá-los outra vez.
Essa vontade de rasgar o infinito para descobri-los. De retroceder no tempo e segurar a vida. Ausência: - porque não há formas para se tocar.
Presença: - porque se pode sentir.
Essa lágrima cristalizada, distante e intocável.
Essa saudade machucando o coração.
Esse infinito rolando sobre a nossa pequenez. Esse céu azul e misterioso.
Ah! Aqueles que já partiram!
Aqueles que viveram entre nós.
Que encheram de sorrisos e de paz a nossa vida.
Foram para o além deixando este vazio inconsolável.
Que a gente, às vezes, disfarça para esquecer.
Deles guardamos até os mais simples gestos. Sentimos, quando mergulhados em oração, o
ruído de seus passos e o som de suas vozes.
A lembrança dos dias alegres.
Daquela mão nos amparando.
Daquela lágrima que vimos correr.
Da vontade de ficar quando era hora de partir. Essa vontade de rever novamente aquele rosto.
Esse arrependimento de não ter dado maiores alegrias.
Essa prece que diz tudo.
Esse soluço que morre na garganta...

E...
Há tanta gente morrendo a cada dia, sem partir. Esta saudade do tamanho do infinito caindo sobre nós.
Esta lembrança dos que já foram para a eternidade.
Meu Deus!
Que ausência tão cheia de presença!
Que morte tão cheia de esperança e de vida!