terça-feira, 14 de setembro de 2010

Escute a voz que vem de dentro


Autor desconhecido...


Felicidade não vem dos outros. Vem de Você. Só Você tem o dom de transformar sua vida. Se está esperando outras pessoas mudarem, fazerem ou trabalharem para sua felicidade, vai esperar eternamente, porque felicidade é obra somente sua.

Tudo que é valioso vem de dentro. A pérola está dentro da concha. O ouro está guardado dentro da terra ou dentro da água. O valor do livro está dentro das páginas. O tesouro está protegido dentro do cofre. Por que o reino do céu está fora? Fora de nós? O reino do céu está dentro de nós.

Buscamos sermos felizes por fora. Queremos aquela carreira profissional. Queremos aquele homem ou aquela mulher. Desejamos possuir um belo físico. Almejamos o carro do ano, o mais moderno do que o dos amigos. Queremos a roupa mais vistosa e, se possível, com marca famosa. Fazemos de tudo para sermos o mais popular entre os amigos ... Buscamos a felicidade por fora de nós. Por isso somos tão infelizes. Ninguém pode fazer o outro feliz. Só ele mesmo.

Não faça promessas impossíveis do tipo: benzinho farei você muito feliz! É muita responsabilidade. Podemos compartilhar felicidade com outra pessoa e não trabalhar dentro dela porque isso é obra individual. Nem Deus mexe com o interior do homem. Cada criatura é um universo único.

Não queira ser igual ao outro. Não queira copiar o outro, o que ele veste, o que ele faz ou o que ele fala. Seja Você mesmo. Não copie.

Não se prenda com as opiniões dos outros. Se Você acha que é assim diga “eu acho assim”. Não se preocupe com as opiniões de fora, se preocupe com a sua opinião – de dentro de Você.
Claro que se fizer algo errado ou que ofenda ou machuque, procure se corrigir. Há leis que temos que respeitar, leis humanas e divinas. Seja sincero, se não quer ou não gosta de algo, diga: “não gosto”. E se ouvir algo que não gostou, não se sinta infeliz. Não ligue. Não ligar é não se deixar ofender, magoar. Não é o outro que fez Você se magoar, é Você que se deixou magoar ou ofender. Você é que escolhe o que vai sentir e não a outra pessoa. Os outros não mexem em nosso sentimento, só nós. Eles estão fora, nós estamos dentro. Não se envergonhe daquilo que sentiu. Sentir é humano. Só as pedras não sentem raiva, orgulho, vaidade, amor, alegria ... Procure conhecer o grau dos seus sentimentos e assim, seja senhor deles, e não escravo. Não reprima aquele sentimento que o faz se envergonhar. Eduque-o. Reprimir um sentimento é reprimir todos. Repressão traz doenças na alma.

Assuma seus erros e se perdoe. O erro leva-nos ao acerto e o acerto nos leva à ascensão.

Outra coisa importante é sobre o apego. Não nos apeguemos às coisas, às pessoas ou situações. Um dia as coisas serão transferidas para outros “donos”, as pessoas partirão e as situações se modificarão. Nada está parado no Universo. Os que param, estacionam. Mudança é progresso. As pessoas nascem sozinhas, morrem sozinhas e sozinhas viajam pela eternidade. Não fique na dependência do outro, deixe o outro livre para crescer também. Cada viajante carrega a sua própria mala e esta mala se chama experiência. A experiência é individual.

Não fique preso às coisas de fora. Ouçamos a voz que chama e ela está no nosso universo interno. Essa voz está nos convocando para entrar dentro de nós e nos pergunta: quem somos? Temos que saber a resposta.

Ligue-se consigo antes de se ligar às outras pessoas. A solidão que está reinando em toda humanidade nos dias atuais veio, justamente, para facilitar esse conhecimento. Quando estamos em lua de mel com nossos amores, amigos e família, não temos tempo para entrar no nosso reino do céu. O tempo urge e a urgência do auto-conhecimento do homem é para fazê-lo
Nascer. O nascimento é de dentro para fora. Conhece-te a ti mesmo. Quem és, de onde vens e para onde vais?

Um comentário:

Ensino,religião e política. criticas. disse...

EM BUSCA DA FELICIDADE.

Os seres humanos, em toda sua historia, procuraram incansavelmente, uma maneira de ter mais conforto, mais paz, com isso ter uma vida mais cheia de felicidade. Esta tranqüilidade seria principalmente ter mais horas de descanso, mais tempo para desfrutar das coisas boas do seu lar, curtir mais intensamente sua esposa, conviverem mais com seus filhos, dando a eles mais atenção e principalmente uma melhor educação.
Toda a luta por estes princípios foi destruída pela mídia. A partir do surgimento deste nefasto sistema de indução das nossas mente, que é feita com técnicas especiais, e nos deixam á mercê deste sistema. Não temos como evitar, todos nos somos atingidos, com mais ou menos intensidade. Alem de nos induzir ao consumismo, a mídia também deturpou nossa moral, nossos costumes os quais eram os nossos maiores e mais importantes bens.
Hoje, os seres humanos estão todos mergulhados no turbilhão do consumismo desenfreado. Para satisfazer este consumismo, todos estão em uma grande disputa, disputa esta de fazer inveja aos mais renomados gladiadores romano. Com esta nova modalidade de vida, ninguém mais tem tranqüilidade, até as crianças sofreram modificações. Elas deixaram de serem crianças, passaram também a entrar na disputa desenfreada imposta pela mídia. Uma criança hoje, de inicio vai para a escola com dois ou três anos, penso que isso é muito prematuro, o certo seria primeiro ser criança, desfrutar desta fase maravilhosa. Participar de brincadeiras infantis, enfim, ser apenas crianças pelo menos até os sete anos. A partir dos sete anos seria o momento adequado para iniciar seus estudos.
Com esta desenfreada disputa imposta pela mídia, as crianças iniciam Precocemente seus estudos, alem do estudo chamado hoje de fundamental, há também cursos de inglês, computação, música, balé futebol, judô e muitos outros cursos. As crianças passam a ter uma vida agitadíssima. Os pais gostam muito desta situação porque se livram dos filhos, passando ate três ou quatro dias sem velos. Os pais também por sua vez, mergulham de cabeça na disputa para ganhar mais, e mais dinheiro, para poder adquirir tudo que a mídia os induz a comprar. Este consumismo irracional levou as pessoas a não ter mais paz, a não ter mais tempo para a esposa ou para os filhos. A mentalidade atual é de disputa, se seu vizinho tem uma casa bonita, você tem que ter também, se seu vizinho tem um carro do ano você tem que ter igual, ou de preferência melhor que o dele. Outra coisa importante é que a tecnologia continua criando novas coisas para serem consumidas, há sempre novidade no mercado. Desta maneira, a coisa vai degringolando para uma situação que não podemos prever onde irá parar. Eu pergunto onde esta a felicidade tão almejada, onde esta a paz, onde esta a tranqüilidade? Tudo isto foi jogado no lixo. Á ordem agora é trabalhar igual um burro de carga, só para satisfazer o consumismo imposto pela mídia.
Façam uma reflexão sobre isso, reflita, faça um exame de consciência, você descobrirá que o verdadeiro caminho não é este. Não pensem que vou dizer que o caminho bom é aquele através das religiões, não é nada disso. O importante na vida é ter paz. Riqueza conseguida através de uma luta desenfreada por toda a vida não da paz a ninguém. No fim da vida você ira notar que foi apenas um joguete nas mãos da mídia.

Esta crônica foi extraída do livro, Crônicas, indagações e teorias. Autor Paulo Luiz Mendonça.
http://pauloluizmendonca.judblog.com