sexta-feira, 9 de maio de 2008

Tudo pode acontecer


Texto de Irisbel de Souza Correia


Lucia não sabia mais o que era verdade e o que não era, de uns tempos pra cá, começou ouvir vozes, era como se fosse sonho, mas parecia realidade, a voz não saia da sua cabeça, era exatamente a mesma coisa constantemente, como se tivesse alertando do que poderia lhe acontecer.
Era trinta de agosto de mil novecentos e vinte, Lucia, ainda adolescente, tinha as manias de todas as meninas de sua idade, só falavam do Baile de fim de ano, o vestido que iria usar e o rapaz que iria com ela ao Baile, sonhava com o futuro como todos do Colégio Santa Cecília, planejavam estar juntas na Faculdade, mesmo que fizessem cursos diferentes, não pensava em separar-se de suas amigas Gláucia e Jéssica, pois sabia que fatalmente aconteceria, pois Jéssica queria ser atriz, Gláucia enfermeira e eu, bem não sabia direito o que queria, aliás queria tudo e nada ao mesmo tempo, meu pai queria que eu fosse advogada, minha mãe estilista, meus professores escritora, pensei em todas as possibilidades, mas nada me satisfazia, com o fim de ano mais próximo fiquei agoniada pois teria que tomar uma decisão, e não tinha a menor idéia do que fazer; pensei em fugir antes do Baile para não precisar tomar essa decisão, foi quando comecei a ouvir as vozes, apenas repetia seqüencialmente são três, fiquei intrigada, mas se repetia várias vezes ao dia, até que já restava apenas duas semanas para o Baile, havia esquecido completamente da formatura, pois aquela voz pertinente tomou todas as minhas atenções; como não conseguia desvendar o mistério resolvi me entregar de corpo e alma aos festejos de fim de ano.
Eu, Jéssica e Gláucia fomos nos arrumar na casa da Bárbara, pois sua mãe havia chamado cabeleireiro, manicure e tudo que nós precisávamos para o grande dia, estávamos radiantes com o acontecimento, e além do mais as vozes pararam, (deveria ser a minha consciência pelas escolhas que tinha que tomar), chegamos ao Baile numa limusine branca com chofer, parecia um sonho de princesa. Dancei a noite inteira com o Henrique, a Gláucia com o Bruno, Jéssica com o Diogo e a Bárbara com Samuel, estava tudo lindo, quando derrepente, a professora Ivete veio correndo e chorando muito, gritava fogo, a biblioteca está pegando fogo, todos entraram em pânico, começaram a correr, empurrar uns aos outros tentando escapar do incêndio, quando Bárbara, Jéssica e Gláucia deram as mãos para escaparem , mais elas foram empurrados para a sala de música, os telhados começou a desabar fechando as saídas, quando Jéssica desesperada perguntou por Lúcia, que a muito já estava lá fora, sendo que o Henrique já havia a tirado do salão, foi ai que Lúcia queria a todo custo entrar para salvar as amigas, mas os bombeiros a seguraram impedindo essa insanidade, Lúcia chorava muito ao ver o salão da escola totalmente destruído, e o pior que suas amigas não conseguiram sair de lá, isso imaginava Lúcia, sendo que enquanto Jéssica lembrou da amiga, também lembrou das vozes que Lúcia afirmava ouvir e por conseguinte foi isso que as salvou, ao dizer três, a voz queria dizer dos três livros na sala de música, onde abria a passagem secreta em baixo do piano dando na fonte do lado de fora do prédio, Lúcia com os olhos lacrimejados de tanto chorar abraça sua mãe, e não acredita no que vê, Jéssica, Gláucia e Bárbara saindo da fonte, Lúcia corre e abraça as amigas, e elas a agradecem, pois se não fosse seus pressentimentos anteriores elas poderiam estar mortas agora.

Nenhum comentário: